Saiba o que é Micareta e como é o Carnaval em Salvador

» Carnaval de Salvador
O Carnaval de Salvador é a maior festa de participação popular do mundo. Criado e mantido pelo povo, trata-se de uma manifestação espontânea e livre, onde o carnal, o lúdico e o físico se misturam com a emoção e a ginga dos baianos que conseguem renovar a folia a cada ano.

» Micareta
O festejo, um Carnaval fora de época, foi criado em Feira de Santana em 1937. Naquele ano, a festa foi criada por um grupo de feirenses, inconformados pela não realização do Carnaval, motivada pelas fortes chuvas. O nome do Carnaval temporão, fora de época, é derivado de uma festa francesa, Mi-carême. Em dois anos, ela não foi realizada, nas décadas de 40, pela Segunda Guerra Mundial, e 60, pela Revolução. A festa é, sem dúvida, uma das maiores manifestações populares do interior da Bahia e do Nordeste. Desde os anos 90 que a Micareta está implantada em várias capitais e cidades brasileiras, a partir do sucesso de sua realização em Feira de Santana, foco irradiador do evento. São Micaretas por quase todo o ano.

» Blocos de carnaval
Os blocos de carnaval são compostos por um trio elétrico e um carro de apoio e têm seu espaço delimitado por uma grande corda. Cada bloco tem cerca de 3000 associados/integrantes, que são identificados pelo uso do abadá, e contam com um esquema de segurança, envolvendo mais de 1000 homens.

Os trios elétricos desfilam cercados pelos associados do bloco e, do lado de fora da corda, por milhares de pessoas. Os artistas cantam e animam o bloco o tempo inteiro e a multidão pula, dança, paquera e se diverte.

» Trio elétrico
O trio elétrico é um grande caminhão equipado com modernos sistemas de som, além de instrumentos utilizados pela banda e um palco na parte superior, onde ficam o artista e a banda. A velocidade média do trio é de 2 Km/h, e ele ainda faz muitas paradas. Desta forma, completa o percurso de 6 Km, no circuito da avenida, em 7 ou 8 horas.

No circuito Barra/Ondina, que tem cerca de 4 Km, o percurso é completado em torno de 5 a 6 horas, possibilitando aos foliões acompanharem o trio dançando e brincando.

» Carro de apoio
É também um grande caminhão, que como o próprio nome diz possui uma estrutura de apoio ao bloco, composta por:
– Bar e lanchonete
– Sanitários
– Posto de atendimento médico
– Camarote vip

» Circuitos do Carnaval de Salvador
O Carnaval de Salvador possui atualmente três circuitos – Osmar (Campo Grande), Dodô (Barra-Ondina) e Batatinha (Centro Histórico) – que é onde acontece a verdadeira explosão da alegria. Os blocos afro, com seus tambores e o som orientalizado dos afoxés, são um contraponto da festa, por ser rica de ritmos, estilos e manifestações artísticas e, ao mesmo tempo, singular, por ser única.

» Foliões de todo Brasil
São mais de 2 milhões de foliões baianos e turistas que anualmente participam da folia de momo, uma verdade multidão.

» Abadá
O abadá é a fantasia que possibilita a identificação dos associados do bloco. Na verdade, cada associado tem direito a um Kit Fantasia, composto pelo abadá (camisa larga estampada e com o símbolo de segurança do bloco), short e adereços diversos.

Cada associado recebe 1 abadá para cada dia, sendo este diferenciado pela estampa ou cor e tendo o dia de uso especificado.

CUIDADOS COM O ABADÁ
Como o abadá é o que dá acesso ao bloco, ele é rigorosamente inspecionado pela equipe de segurança, para evitar a entrada de não-sócios. Deve-se ter cuidado ao cortá-lo para fazer outro modelo. Deve ser mantido o símbolo de segurança do bloco (a marca destacada), conforme é informado na entrega de fantasia e em folhetos constantes no kit. As pessoas que estiverem com o abadá dividido, sem o símbolo de segurança ou adulterado não poderão permanecer no bloco.

» Folião Pipoca
Os foliões pipoca são pessoas que participam do carnaval do lado de fora das cordas dos blocos. Eles podem acompanhar os blocos e suas atrações musicais sem pagar, porém não têm os privilégios nem a segurança dos associados dos blocos.

Eles se misturam aos ambulantes, que vendem desde cerveja até queijo coalho na brasa. Deve-se tomar cuidado, pois a quantidade de pessoas aglomeradas é muito grande.

» Cordeiro
Segurança responsável por levar a corda que cerca o bloco, permitindo assim a entrada somente de pessoas que estejam vestindo o abadá.